Hospital Universitário Pedro Ernesto

vista-aerea-do-hospital-universitario-pedro-ernestoHospital vinculado a Universidade Estadual do Rio de Janeiro, situado na rua Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 77, no bairro de Vila Isabel, na Zona Norte do Rio de Janeiro

Local onde o estudante Luiz Paulo da Cruz Nunes foi morto em 1968, quando participava de uma manifestação estudantil contra o regime militar em frente ao próprio hospital e foi baleado na cabeça por um camburão da polícia que abriu fogo contra os manifestantes. Outros militantes foram mortos no dia seguinte no mesmo local, como Cloves Dias Amorim e Luiz Carlos Augusto.

Filtro: Mortos e Desaparecidos

Segue uma listagem das pessoas mortas ou desaparecidas relacionadas a este lugar, conforme informações obtidas no livro-relatório da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos.

 

Cópia 50 de imgres Luiz Paulo da Cruz Nunes
O estudante cursava o segundo ano da Faculdade de Medicina da UERJ (à época Universidade do Estado da Guanabara), sendo também estagiário em patologia, quando foi morto, aos 21 anos, no Rio de Janeiro, depois ter sido atingido por um tiro em manifestação estudantil em frente à sua faculdade, no dia 22/10/1968. Internado no próprio Hospital Pedro Ernesto, local da manifestação, com ferimento no crânio, foi operado mas faleceu na mesma data.

Cloves Dias Amorim e Luiz Carlos Augusto
Ambos foram mortos em 23/10/1968, como conseqüência da violenta repressão policial dirigida a manifestações de protesto contra o assassinato de Luiz Paulo da Cruz Nunes, no dia anterior. Ex-servente da Companhia Antarctica Paulista, o operário Cloves Dias Amorim morreu aos 22 anos, após ser baleado por agentes policiais. O estudante e escriturário Luís Carlos Augusto morreu aos 23 anos, quando também participava nas manifestações de protesto, ou percorria suas proximidades.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*