Centro de Informações da Aeronáutica[CISA]

Base Aérea do Galeão, Ilha do Governador

Local relacionado à prisão, tortura e desaparecimento de diversos militantes, como Severino Elias de Melo em 1965 e Stuart Edgar Angel Jones em 1971.

Filtro: Mortos e Desaparecidos

Segue uma listagem das pessoas mortas ou desaparecidas relacionadas a este lugar, conforme informações obtidas no livro-relatório da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos.

Severino Elias de Mello
Paraibano de nascimento, o comerciante se mudou para o Rio de Janeiro aos 17 anos, engajando-se na Aeronáutica. Foi preso pela primeira vez em 1935, quando da tentativa de insurreição liderada por Luiz Carlos Prestes, do PCB e da Aliança Nacional Libertadora. Já na ditadura, acabou detido no dia 28/07/1965 por oficiais da Aeronáutica, que estavam à paisana e armados de metralhadoras, sendo conduzido à Base Aérea do Galeão. Lá permaneceu incomunicável por um dia, ao fim do qual teria cometido suicídio com um lençol, segundo a versão oficial.

José Gomes Teixeira
Militante do MR-8, ex-marítimo e funcionário da Prefeitura de Duque de Caxias (RJ), foi preso em 11/06/1971 por agentes do CISA e levado para a Base Aérea do Galeão, onde foi brutalmente torturado, segundo o que disse ter visto seu cunhado, Rubens Luiz da Silva. Acabou morrendo no dia 23/06/1971.

Cópia 7 de imgres-1Stuart Edgar Angel Jones
Filho da estilista de alta costura Zuzu Angel com o norte-americano Norman Angel Jones, irmão da colunista social Hildegard Angel, Stuart nasceu em Salvador e cresceu no Rio de Janeiro. Apaixonado por esportes, praticou tênis, natação, capoeira, levantamento de peso e remo.  Era estudante de Economia na Universidade Federal do Rio de Janeiro, tendo trabalhado também como professor. Em 18/08/1968, havia casado com Sonia Maria Lopes de Moraes, que também seria morta em 1973, em São Paulo. Moravam na Tijuca. Militante do MR-8 desde o período em que a organização tinha o nome de Dissidência da Guanabara, Stuart, conforme documentos dos órgãos de segurança, integrou sua Direção Geral a partir de meados de 1969, ao lado de Daniel Aarão Reis e Franklin de Souza Martins. Também era apontado como participante de diversas ações armadas e se presume que os militares o torturaram com tamanha brutalidade porque pretendiam, através dele, chegar a Carlos Lamarca, recentemente integrado à organização. Stuart foi preso por volta das 9h da manhã do dia 14, na avenida 28 de Setembro, em Vila Isabel, zona norte do Rio de Janeiro, por agentes do CISA.  Stuart Edgar Angel Jones foi assassinado sob terríveis torturas na Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro. Morreu na noite de 14 de maio de 1971 e o nome dele consta da lista de desaparecidos políticos anexa à Lei nº 9.140/95. O caso ganhou repercussão internacional graças as denúncias de sua mãe, conhecida em várias países. Ela seria morta também, meses depois.

 

Cópia 74 de imgresHoracio Domingo Campliglia e Monica Susana Pinus de Binstock
Ele nasceu em Buenos Aires em 06/06/1949. Era estudante de Medicina. Casado com Pilar Calveiro, com quem teve duas filhas. Seu desaparecimento recebeu na Conadep argentina o número 3636. Ela, por sua vez, era casada com Edgardo Cópia 75 de imgresIgnácio Binstock com quem teve dois filhos. Edgardo aguardava a mulher no Rio de Janeiro.Em 2005, Edgardo assumiu o cargo de secretario de Direitos Humanos da Província de Buenos Aires. Também integravam o Movimento Peronista Montoneros, que mantinha resistência armada à ditadura militar argentina. No dia 12/03/1980, voltavam do exílio para a Argentina, tendo saído da cidade do México na véspera, num vôo da empresa aérea venezuelana Viasa, que fazia conexão em Caracas com um vôo da Varig rumo ao Rio de Janeiro. Usavam passaportes falsos e foram seqüestrados no aeroporto do Galeão, sendo presos, torturados e mortos pelos agentes da repressão.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*