Quem somos

O Instituto de Estudos da Religião (ISER) é uma organização da sociedade civil que atua em defesa dos direitos humanos e da institucionalidade democrática. O histórico de sua formação remete ao período do regime ditatorial civil-militar, especificamente a década de 1970, momento em que os movimentos e organizações sociais expressavam intensamente as necessidades de fortalecimento da sociedade civil, de luta pela democracia e de mobilização social efetiva. Apoiando-se, originariamente, no elo entre religião e movimentos sociais, o ISER expandiu, ao longo dos anos, suas atividades através do trabalho de ativismo e pesquisa no campo dos direitos humanos.

Em consonância com o destaque que a pauta Memória, Verdade e Justiça (MVJ) tem ganhado na conjuntura recente do país, o ISER desenvolve, desde 2011, um projeto de pesquisa e intervenção neste tema (Projeto MVJ). Este projeto, com apoio da Fundação Ford, estabelece um monitoramento dos trabalhos da Comissão Nacional da Verdade, com o propósito de reunir e sistematizar informações que potencializem a participação ativa da sociedade civil neste processo. Ademais, seguindo a tradição de produção de conhecimento, o ISER mantém a Revista VJM, uma publicação online que traz a público um debate crítico sobre esta temática.

Levando em consideração a memória como uma dimensão fundamental para a reconstrução da história de períodos autoritários, o ISER, no âmbito do calendário de “descomemorações” do cinquentenário do golpe de 1964, iniciou um trabalho de mapeamento de lugares de memória relacionados tanto à resistência quanto à repressão no estado do Rio de Janeiro intitulado Cartografias da Ditadura. Trata-se de uma proposta de construção coletiva e colaborativa, de caráter permanente e processual, de uma plataforma virtual aberta às contribuições de pesquisadores, ativistas, ex-presos políticos, bem como de qualquer pessoa que tenha interesse ou informações pertinentes aos assuntos aqui abordados.

Reunindo os mais diversos materiais produzidos neste campo temático, esta cartografia é uma ferramenta de valor pedagógico que objetiva fomentar a conexão entre as lutas e as violações do passado e do presente, bem como transmitir para as gerações de hoje e para as próximas o absurdo da violência institucional.

Ao entender as memórias como objeto de conflitos e lutas, nas quais os participantes envolvidos neste campo de disputas estão permanentemente elaborando novos sentidos, esta ação objetiva contribuir para um processo de memorialização no estado do Rio de Janeiro, evidenciando a luta dos movimentos sociais pela disputa concreta e simbólica dos espaços da cidade. A proposta é reapresentar a memória de maneira que seja reconhecida a necessidade de mudança, no âmbito das políticas públicas, e colocar em pauta os diferentes motivos que temos para recordar.